Mesa de corte – I

Agora inicio o motivo desta incursão no mundo blogueiro. Mostrar meu projetos. Não que seja necessário ficar mostrando. Na verdade fazê-los já é o prazer em si. A questão é que, quando dá certo, mesmo meio certo, vem aquela sensação… Preciso mostrar pra alguém. Se está na net isso já fica implícito. Pelo menos o pessoal da CIA vai ver…. Resolvi levar a cabo um projetinho necessário. Minhas ferramentas ainda não são as melhores e, principalmente o corte reto estava ficando difícil. Muita medida, muito grampo sargento, guia pra lá, guia pra cá. Resolvi fazer uma mesa de corte e fixar minha serra circular.

1. O primeiro passo foi uma base firme, mas leve. Bem travada pra não bambear com o tempo.

base firme

Quatro pedaços de um pontalete 7×7 de pinus com 35 cm cada. Cintei tanto a base quanto o topo com sarrafos também de pinus 4×2. Fiz a devida junção com rebaixo e fixei com cola e parafuso.

base

Repare nos encaixes da maior qualidade. Quando eu conseguir comprar formões de primeira, então. Se bem que trabalhar com pinus é como em manteiga quente.

Atente para o rebaixo nos parafusos.. Coisa de profissional…..

rebaixo nos parafusos

2. Um tampo plano, largo, pesado e grosso suficiente para minha mesa de corte. Aí entra outra coisa que não me envergonho mais: o assalto às caçambas de entulho da vizinhança.

tampo

Uma bela tábua de 50 cm de largura por 100 cm de comprimento e 20 mm de espessura, maciça, com zero de empeno. Assentou direitinho.

tampo

Assim, meio suja de tinta e riscada, parece mesmo coisa que veio do lixo de alguém. Fixei em 8 pontos com parafuso de baixo para cima para manter a superfície limpa.

Aí vai um parenteses… O melhor que pode acontecer quando você pega esse material “reciclado”, principalmente madeira jogada fora são as surpresas. Resolvi lixar um pedacinho da tábua e fazer um leve polimento com óleo mineral para ver o que dava…

madeira boa

Olha que coisa linda!!! Quase não resisti à tentação de abortar o projeto e fazer uma mesa de centro ou algo assim.

3. Agora preparar para transformar o conjunto numa mesa de corte. Primeiro passo: uma visão geral de como vai ser a montagem.

Mais coisas “do lixo”, três pedaços perfeitos de peroba, já aparelhados para fazer a guia.

rasgo para serra

Pretendo fazer um rasgo nas duas menores e fixar com parafuso e porca borboleta no tampo. Ao lado de uma delas, um ponteiro, e embutir no tampo uma régua metálica de 60 cm para fazer a marcação do tamanho do corte.

Para a furação e o rasgo da serra, vamos às marcações.

O rasgo para serra.

marcações

E o furo para tupia.

tupia

Uma verdadeira mesa multiuso.

Bem. Amanhã termino a mesa de corte. Trarei novas fotos.

Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *